O que é portfólio escolar ou estudantil?

Confira quais são as diferenças entre o portfólio escolar e o portfólio estudantil. Além disso, aprenda como criar e como usar cada um.

Existem diversos tipos de portfólio. Mas, no geral, pode-se dizer que ele é uma apresentação de trabalhos feitos por determinada pessoa, empresa, profissional, instituição ou organização. Nos casos do portfólio escolar ou estudantil, apesar de serem projetos muito semelhantes, possuem diferenças importantes de serem destacadas.

Enquanto o portfólio escolar deve ser elaborado pelo professor, com base nas atividades desenvolvidas durante um período, seja ele o ano letivo, o bimestre ou semestre, o portfólio estudantil, como o nome já sugere, é uma tarefa destinada ao próprio estudante, também por um período de tempo, desta vez determinado pelos docentes.

Mas, além desta diferença, existem outros pontos que divergem esses dois tipos de portfólio. Uma das principais questões é a respeito da funcionalidade que essa coletânea de trabalho representa na vida de quem a produziu. Em outras palavras, o escolar serve para o professor de uma forma diferente, se comparado ao estudantil para os alunos.

Afinal, o que é portfólio escolar?

Uma informação que precisa estar bem explícita, antes de mais nada, é a de que o portfólio escolar não se trata de um caderno de planejamento. Por exemplo, o professor não vai usar esta ferramenta pensando em como vai dar a aula do próximo dia. Esta coletânea de informações é focada nas atividades já elaboradas.

Isto significa dizer que o professor deve usá-la como um espaço de depósito de relatos, fotografias, vídeos, desenhos etc., sobre as atividades produzidas dentro da sala de aula com os alunos. Um espécie de relatório multimídia para sempre que for possível ser consultado pelo docente ou até mesmo pela própria instituição de ensino.

O que é um portfólio estudantil?

Já a função do portfólio estudantil é a de levar o aluno a repensar as atividades já produzidas, mas não apenas isso. De acordo com a professora Maria Eunice Barth Radaelli, que integra o Núcleo de Apoio ao Docente (NAD) da Faculdade Assis Gurgacz (FAG), este tipo de documento possui muitos objetivos.

“O portfólio possibilita ao acadêmico: obter conhecimentos sobre assuntos específicos; aprofundar temáticas através da pesquisa; demonstrar o aprendizado adquirido no semestre e avaliar o seu próprio desempenho com relação ao assunto ou disciplina trabalhados”

— explica a docente em um documento elaborado para a NAD sobre esta temática.

Assim, é possível dizer que quando um aluno produz um portfólio estudantil ele pode repensar determinadas opiniões ou trabalhos formados por ele em um período de tempo. A autorreflexão é uma das questões extremamente trabalhada quando o assunto é este tipo de documento.

Ainda segundo Eunice, o aluno consegue tirar vantagem ao realizar esse tipo de portfólio, pois conseguem obter um olhar vasto sobre o tema ou a disciplina em questão. Consequentemente, os discentes melhorar o conhecimento adquirido.

Além disso, para a professora, a comunicação é outro ponto que apresenta uma melhora significativa, tendo em vista que os alunos precisam expor suas experiências para o docente e a turma toda. “Também, permite ao docente uma avaliação mais dinâmica e individualizada do processo ensino aprendizagem”, ressalta.

Criar e manter um portfólio

Na maioria das vezes, tanto o portfólio estudantil como também o escolar são feitos de forma manual e impressa. Através dos relatos, trabalhos desenvolvidos em sala de aula, provas etc., é possível ir compondo um portfólio. Neste tipo de documento, é importante ter, em ordem: capa, folha de rosto, sumário, considerações iniciais, desenvolvimento, considerações finais e, claro, os anexos de todo o conteúdo visto e revisado na sala de aula.

Contudo, além deste formato, é possível que o professor e o aluno tenham uma versão online de seus portfólios. Neste caso, é ainda mais fácil para o docente acompanhar o desenvolvimento dos alunos com relação a esta documentação, pois é feito de forma simultânea. Ainda desta maneira, os discentes também podem ter contato com o material do docente e dos colegas de turma, uma vez que todos os portfólios vão estar online.

Já para manter um portfólio, os alunos ou professores precisam atualizar constantemente as informações e os conteúdos dessa documentação. É necessário adicionar informações, deixando o material incorporado e cada vez mais completo.

No caso dos alunos, o portfólio estudantil pode ajudar até mesmo na entrada do mercado de trabalho. Principalmente porque nesse momento, o jovem não possui experiência algumas, mas pode apresentar aquilo que sabe fazer com este tipo de documentação e concorrer a uma vaga de trabalho.

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Deixe seu comentário