Portfolio ou currículo: qual é mais importante?

Cada um tem sua importância, sendo que em algumas áreas um é mais importante que o outro e vice-versa. Tire suas dúvidas!

pessoa sendo aprovada em entrevista de emprego

Quero começar este post com uma pergunta: na hora de se candidatar a uma vaga, o que pesa mais: uma vasta experiência profissional ou qualidade dos seus trabalhos?

Existem recrutadores que preferem pessoas com sólida experiência profissional, enquanto outros optam por pessoas com uma boa quantidade de trabalhos de qualidade. A partir disso, surge outro questionamento: portfólio ou currículo: qual é mais importante?

De forma bem direta, podemos dizer que “depende”. Em áreas de trabalho que lidam com a criatividade, um bom portfólio conta muito mais que um bom currículo. Em outras áreas, por exemplo, o currículo é essencial.

Mas não podemos levar essa dualidade como uma regra fixa. Na maioria das vezes, um recrutador vai pedir o currículo e o portfólio para os candidatos a posições de trabalho em áreas de criatividade.

Para quem está recrutando candidatos, o portfólio é a comprovação de tudo o que está no currículo. Ou seja, todos os seus cursos, graduações, certificados e experiência profissional informados no currículo serão endossados pela qualidade do seu portfólio.

Um bom currículo é importante?

É sempre importante. O currículo é praticamente a sua carta de apresentação. Porém, ele dá apenas uma visão “superficial” de quem você é como profissional. Todas as informações ali mostram quem você é na teoria.

Além disso, em épocas de crise, não podemos partir do princípio de que todos os candidatos são pessoas honestas. Mentir no currículo é uma prática comum. Com a grande concorrência de outros profissionais, muitas vezes a pessoa acrescentará informações exageradas ou até mesmo falsas.

Por isso é importante ter, além de um bom currículo, um bom portfólio que represente e confirme toda a experiência e conhecimento que você diz ter em seu currículo.

Vale lembrar que o currículo muitas vezes é usado apenas como forma de triagem. Ou seja, ele tem a única função de separar os candidatos que mais se encaixem no perfil da vaga em relação aos outros. Por isso é importante ter informações claras e verdadeiras sobre a sua vida profissional.

E como deve ser o portfólio?  

O portfólio é o melhor amigo de quem trabalha com criatividade. É através dele que você mostra seu trabalho, suas ideias e conceitos que o moldaram como profissional.

Se no seu currículo diz que você tem habilidades em modelagem 3D, mostre suas peças que envolvem essa técnica. Se diz que você é especialista em roteiros, mostre um roteiro e o filme/comercial gravado a partir dele. Se diz que você é especialista em fotografias analógicas, escolha suas melhores fotos para compor a pasta

Tente também colocar trabalhos de cada uma das empresas por onde passou e constam em seu currículo. Dessa forma, o recrutador pode conferir a evolução do seu trabalho e da sua técnica ao longo dos anos, além de sua criatividade.

Assim como existem pessoas que exageram ou mentem no currículo, tem quem faça o mesmo em um portfólio. No mercado publicitário, por exemplo, é muito comum ver pessoas que fizeram parte de uma equipe colocando alguns trabalhos em seu portfólio cuja sua participação não envolveu a parte criativa.

Tem aqueles também que acrescentam peças de terceiros, muitas vezes que não foram veiculadas em nenhum lugar, a fim de complementar as informações já exageradas em seu currículo.

Nos dois casos, a melhor opção é sempre a honestidade. Não minta em seu currículo ou no seu portfólio, pois todas as suas experiências e habilidades serão colocadas à prova caso seja contratado ou sujeito a algum teste.

Afinal: portfólio ou currículo: qual é mais importante?

Respondendo o questionamento: os dois. Eles se complementam. Fazendo uma analogia baseada nos parágrafos acima, o currículo é como se fosse o “roteiro” e o portfólio é o seu filme pronto. Tudo o que você diz em um, está representado de forma gráfica, visual ou textual no outro.

Tenha sempre um currículo atualizado com as suas experiências profissionais, cursos e certificados mais recentes e um portfólio com as criações mais recentes. Eles farão a diferença na hora de ser contratado por uma empresa.

Por fim, lembre-se que esta regra não vale para todas as áreas de atuação. Em algumas delas o currículo terá muito mais peso que o portfólio – até mesmo sem a necessidade de apresentá-lo – enquanto outras áreas querem ver a sua capacidade técnica e criativa, não se importando muito com as empresas por onde passou ou a sua formação universitária.

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Deixe seu comentário